/ Retalhos de Inspiração: Dezembro 2006

sábado, dezembro 16, 2006

Solitária


Solitária,
fiz de ti meu esteio
para acomodar meus anseios,
minha saudade, minha dor.
Me aceitaste com calor
me abraçando com ardor.
Mesmo distante,
dividimos nossa dor.
Ah! Se soubesses
o bem que quero a ti!
A gente nunca esquece
um coração que nos aquece.

In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.

terça-feira, dezembro 12, 2006

Gotas


Gotas de orvalho que caem
como lágrima de saudade.
Lembranças doces.
Gotas de solidão
de ver o sucumbir do orvalho
a lembrar o findar de uma vida.

In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.

Meu amado


Onde andas, meu amado?
Que o céu não tem mais brilho,
o sol não tem mais calor,
os mares viraram cinzas,
a areia onde passeávamos
já não existe.
Sabes que és o brilho da vida,
não partas deixando saudades.
Não deixes que a saudade
me alucine.
Para que não faça meu coração
maltrapilho,
estraçalhado pela dor.
Vem em meu socorro
porque aqui estarei esperando
por ti.

In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.

domingo, dezembro 10, 2006

Querer


Tu me queres
com teu amor de hoje.
Eu te quero,
dando meu amor,
como nos primeiros tempos.

In " Falo do Amor e da Paixão"
Copyright @ 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved

Cintilante



Tu és estrelas cintilantes
que caem uma a uma
para iluminar meu caminho
e eu fico imóvel e risonha.

Cintilante é a nossa paixão
que me deixa encadeada de emoção,
inerte, imóvel,
sentindo o prazer do Amor.

In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.

sábado, dezembro 09, 2006

Volta da águia

Aquela águia que voava
levando a saudade,
volta,
trazendo o amor.

In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.

sexta-feira, dezembro 08, 2006

Loucuras adormecidas



Explodirei de paixões e desejos
ao sentir suas mãos
como brasa em meu corpo.
Viverei momentos inesquecíveis
quando seus lábios
tocarem nos meus.

Alucinantes desejos
de uma paixão contida.
Quando nossos corpos se entrelaçarem,
nossos olhares se encontrarem,
me queimarão de desejos.
Loucuras adormecidas,
devaneios constantes,
amor alucinante.
A lua deitará à sombra
em nossos corpos,
trazendo ternura e paz.
Assim, ficaremos
até que o sol
venha nos dar Bom-Dia!

In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.

domingo, dezembro 03, 2006

Solidão, silêncio e saudade


Anoitece!
Com ela chega a solidão.
Com ela chega a silêncio.
Com ela chega a saudade.
Três palavras soltas
que se entrelaçam
e entristecem um coração,
dizimam uma alma,
exterminam um ser.

In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.


Mulher faceira



Aquela mulher que passa
tão bela e faceira
é uma daquelas mulheres
para quem a vida não foi bela.

Levando seu fardo no ombro,
com aquele corpo faceiro,
também precisa trabalhar
para ganhar seu dinheiro.

Bela desfilando na areia
que até parece sereia,
vai gritando pro mundo:
Venham! Chegou a doceira.

In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.

Tarde cinzenta

Tarde cinzenta,
onde nuvens se misturam
nos céus.
Em uma sacada
um banco vazio.
A nostalgia invade,
a saudade pergunta:
Onde estás?

In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.


Cabelos brancos



Ah! os cabelos brancos.
Chegam suavemente
e sorrateiramente,
como as nuvens no céu,
sem pedir licença,
se acomodam sem a mínima pena,
sem resistência
e se entrelaçam
como companheiros de uma vida
de alegrias perdidas.
Ah! cabelos brancos
tinham que fazer parte
desta longa vida.

In "Falo do Amor e da Paixão"

Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.
.





sábado, dezembro 02, 2006

Fogosa mulher



Esta fogosa mulher
que tanto escreve sobre amor
não deveria ser assim,
mas está dentro de mim.

Com a chama viva do amor,
nas entranhas, o fulgor,
para viver um grande amor.

Esta mulher escreve
totalmente sem pudor
sobre paixão e amor
que dominam sua alma
com todo seu vigor.
Esta mulher, ainda desejosa,
espera um grande amor.

Não se importa com o que dizem,
o que pensam ou vão falar,
e assim ela grita
este amor que tem pra dar.


In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.

Encontro perfeito



Almas que se encontram
e se entrelaçam,
momentos lindos
que se calam.
O encontro do infinito amor
na sua perfeita essência,
são almas gêmeas
que, ao se encontrarem,
as luzes acendem
para que possam iluminar
os doces gestos do amor!

In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.

Reflexo



Olhando para dentro de mim,
vejo refletir um mundo grande e infinito
de amor, paixões e desejos.
Inconquistáveis, insatisfeitos,
roídos por um amor,
cheio de preconceito
que acabou...sem o infinito prazer.


In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.

Mulher desnuda




Mulher envolta na timidez
se desnuda.
Desencontros de sentimentos e de pudor!
Não se olha.
Que horror!
Entre as entranhas,
o amor
que incendeia e queima,
maltrata o interior.

Não expõe,
deseja ser amada
com fulgor.
Sem pudor
com ardor.

Explode das entranhas
seu desejo de fêmea,
de mulher, de prostituta,
enlouquecida pelo gozo do amor.

In "Falo do Amor e da Paixão"
Copyright © 2005 By Lysette Carvalho
All rights reserved.